[PDF] CÂNDIDA ALBICANS NO TRATO RESPIRATÓRIO DE CETÁCEOS MANTIDOS EM CATIVEIRO

RESUMO 
 Os mamíferos marinhos em cativeiro tem uma grande probabilidade de micoses oportunistas no trato respiratório, principalmente os cetáceos, devido ao estresse que as condições artificiais e disgenésicas do seu habitat artificial propiciam. Os estudos mostram que através de exsudatos brônquios que foram colhidas sempre que os golfinhos mostravam sinais clínicos respiratórios, refratários à terapêutica antibacteriana mostraram-se leveduras. As pesquisas e identificações das leveduras foram efetuadas com técnicas de diagnóstico micológico convencional. As estirpes isoladas foram submetidas a testes de sensibilidade a antimicóticos. Noventa e oito amostras (90,7%) revelaram abundantes culturas de fungos leveduriformes. A espécie Candida albicans foi a levedura isolada com maior freqüência (MARTINS,et al 1999). As informações obtidas em pesquisas mostram, que as espécies de leveduras encontradas e implicadas nas situações mórbidas do foco respiratório dos golfinhos, parecem estar também associadas a alguns peculiaridades do ecossistema.
Palavras chave: micoses oportunistas, Cândida albicans, golfinhos 
Tecnologia do Blogger.